ACESSE PELO 
COMPUTADOR :)

DIRE

TA

ENTE 

OPO

STO

A

O

NO

M

R

TE.

É SÓ OLHAR PRA VER QUE EU SOU DO SUL. 

BRANQUELA. FILHA DA COLÔNIA.

HABITA UMA COLÔNIA. PARTE DE UMA COLÔNIA. 

QUE NO DICIONÁRIO, COLONO É QUEM EMIGRA PARA POVOAR E, OU, EXPLORAR UMA TERRA ESTRANHA.

COLOCA ESTRANHA NESSA TERRA.

VENENO TAMBÉM.

DO SUL, ESSE PONTO CARDEAL DIRETAMENTE OPOSTO AO NORTE. 

MAS NÃO É DE HEMISFÉRIO, TALVEZ SEJA DO PARADOXO EM SER PARTE DE OUTRO SUL QUE NÃO O HEMISFÉRIO.
FALO DE SUL, LOCALIZAÇÃO REGIONAL BRASILEIRA.
O SUL DO BRASIL.
QUE NÃO É UM PAÍS. E QUE DIVIDO COM OUTRAS 6.248.435 PESSOAS O ESPAÇO DE VIDA NO MENOR DOS ESTADOS. ENTRE PARANÁ E RIO GRANDE DO SUL, COISA PARECIDA. 

QUANDO DIGO “SOU DE LÁ DE SANTA CATARINA” OUÇO “PÊSAMES”.
PESADO. UM MONUMENTO DE PEDRA. ENTRE A RESPONSABILIDADE E CULPA. ANTES DE NÓS MESMAS.

ENGULO A ÁGUA QUENTE E VERDE DO CHIMARRÃO ENQUANTO VEJO A TRADIÇÃO COMO ARMA APONTADA QUE NÃO QUER ATIRAR.

A ABUNDÂNCIA DA TERRA.
AS FESTAS TÍPICAS QUE COMEMORAM A ECONOMIA DA COLHEITA LOCAL. TIPICAMENTE FABRICADAS: DOIS TRÊS MASCOTES DESPROPORCIONAIS ASSUSTA-CRIANÇA, UMA RAINHA, DUAS PRINCESAS COM REINADO QUE DURA O FINAL DE SEMANA, OU O TEMPO DA FESTA, SEM QUALQUER PODER EFETIVO. MULHERES COMO ARTIFÍCIO PARA ATIÇAR A VENDA E REPRESENTAR A FERTILIDADE DO CHÃO.

“ESSE PRODUTO AQUI NÃO PRECISA PAGAR IMPOSTO” ELE DIZIA RINDO E CUSPINDO PRA PLATEIA, COM SEU CHAPÉU DE CAUBÓI DE ARAQUE, ENQUANTO APERTAVA O BRAÇO DA RAINHA DA CEBOLA COM UM BRAÇO E COM O OUTRO APONTAVA PRA ELA USANDO O INDICADOR.

O FRENESI DA TESTOSTERONA TAMBÉM MOVE O ORGULHO DE TRANSFORMAR FLORESTA EM CAMPO DE PLANTA DE UM TIPO SÓ. A FANTASIA TODA É FORMAL NO LEGISLATIVO, TORNANDO CAPITAL EM CAPITAIS.
QUANDO NÃO HÁ COLHEITA DE ALGUMA MONOCULTURA, HÁ O CAPITAL SIMBÓLICO. ARTIMANHA TURÍSTICA.

A NOSTALGIA EUROPEIA. 

A MELANCOLIA QUE MOVE TODOS ESSES ANOS NA CRIAÇÃO DE ADEREÇOS DE TODOS OS TIPOS PARA MANTER IDENTIDADES ALEGÓRICAS. OS DISTÚRBIOS COMPORTAMENTAIS E SINTOMAS SOMÁTICOS PROVOCADOS PELO AFASTAMENTO DO PAÍS NATAL, DO SEIO DA FAMÍLIA E PELO ANSEIO EXTREMO DE A ELES RETORNAR. 

O ANSEIO EXTREMO DE PERMANECER INVENTANDO LUGAR NUM INTERMINÁVEL PERCURSO DE DOMÍNIO.
TEM OSSO DE GENTE EMBAIXO DAQUELAS ROÇA.

A GENTE NÃO SABE DE ONDE QUE VEM O GRUPO DE BUGRE QUE VENDE CESTA NO CENTRO DA CIDADE TODO FIM DO ANO. A GENTE NÃO SABE?
E NEM POR QUE QUE A NOSSA NONA CHAMA DE BRASILEIRO AQUELES QUE NÃO SÃO DA NOSSA MESMA COR. A GENTE NÃO SABE?
E COMO FOI QUE O NOSSO BISNONO FUNDOU A LINHA QUE TODA A NOSSA FAMILHAGE MORA? ESSA ONDE OS NOSSOS TIO TUDO MORAM E FAZEM DE RINHA? A GENTE NÃO SABE?

VAZIO DEMOGRÁFICO.
O QUE FICOU NA PROSA COM SOTAQUE JÁ É SUFICIENTE. A GENTE SABE.

SÓ SOBROU ESPAÇO PRA ÍTALO-ROMANTISMO, PRA PERVERSÃO E PUNHETAGEM GERMÂNICA TUDO EM PORTUGUÊS FORÇADO TAMBÉM POR LEI.

NÃO TEM COMO DISFARÇAR A FANTASIA CULTURAL MALTRAPILHA COM A QUAL TODOS AQUI NA VIZINHANÇA SE VESTEM. E EU AINDA ME VEJO VESTIDA.
TECIDA DE CAPTURA. NOVO MUNDO CRIADO. PAREDES PERIGANDO CAIR. FUNDAÇÃO DE PAU A PIQUE, PEDRA EM CIMA DE PEDRA, POR CIMA. ENTERRANDO. MASSACRANDO. ESCONDENDO. DISSIPANDO. 

MORREDOURO CONSTANTE COMO MOTOR DE INVENÇÃO MAMBEMBE.
PENSANDO AQUI, LARS VON TRIER É SESSÃO DA TARDE.

GABI BRESOLA

 
2

mapa de santa catarina

caneta nanquim em papel vegetal 120g/m²

2020

2
a língua enroscando nos dentes quando érre e ére estão na mesma palavra
o zunido
da cerca elétrica no
meio do sonho e da noite
a propriedade
em grão de hectar entrando nos racho do pé e embaixo das unhas
 
07.jpg
09.jpg
08.jpg
03.jpg
06.jpg
10.jpg
05.jpg
04.jpg
01.jpg
02.jpg
2
2

happy topographies
[lugares terrivelmente felizes]

10 telas de  25x35cm 
tinta acrílica 

2019

a barriga roncando no silêncio da reza
os vergão
de vara de marmelo se levantando
nas pernas das criança
 a inflamação
nos dedo que vai revelando as farpas de bracatinga 
 

F

[coloque fones de ouvido antes de dar play]

00:00 / 02:19
2
2

questionário
áudio

2020

o cheiro
de estar assada e já ter queimado das batatas-doce 
a ladainha
virando uníssona na sincronia das vozes velhas da paróquia
a matéria preta
se formando da lesma, depois do sal que a gente colocou em cima
 

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2
2
2

cartão postal
impressão em papel supremo 300g/m² em duplas, com picote. tiragem: 100 exemplares

2020

o fio de baba 
instantâneo e provisório se formando entre o teto e a boca do terneiro
a galinha
dando dois três passos  depois que a gente
degola ela
o cabelo embaraçando com mel assim que os mirim atacam
 
vale (1).jpg
vale-europeu-vale-indígena-nome-de-orige
2
2

vindas

fotografia impressa em papel matte 120g/m² e texto impresso em acetato  para sobreposição tiragem: 10 exemplares
2020

o pó de milho
que existe no paiol por segundos no ar, quando moedeira diz que milho
é ração
a orquestra
de peidos das polentas geladas quando encostam na chapa do fogão à lenha 
a língua
quase doce quando passa no beiço juntando a sujeira que o grostoli faz na cara
 
guabiruba2
2
2

capitais
gif animado +

projeto geográfico em arquivo kml aplicável a plataformas de mapas

2020

F

a semente
do figo entrando no buraco do dente quando a chimia é mastigada
o brilho do cristal
colorido secando no
glacê branco das bolachas 
o ovo do berne encostando no poro e a varejeira indo embora
 
2
2

superficialidade da cartografia

vídeo

2016

 
o olho do porco refletindo brilho amarelo no escuro do chiqueiro
o fedor de esterco envelhecendo em horas na camiseta de candidato da última eleição
as abelhas
no primeiro porre de neonicotinóide
2
2

infraleves da linha pacífico

21 frases
2019

                ACESSOS


A maior estátua do Brasil está em Santa Catarina 

Agroglifos são registrados em Ipuaçu pelo sétimo ano consecutivo, mas figuras foram destruídas
Arte e descolonização nas relações Sul-Sul 

Avañeʼẽ - Dicionário Guarani - Português

Bandidos, forasteiros e intrusos de Délcio Marquetti

Bonecos de neve no Sul do país viram piada na web: ‘Olaf de Taubaté’

Blumenau, os cartazes contra “negros e macumbeiros” e a Gestapo brasileira
Canal do Cesar Moacir Alves 

Centenário de Chapecó / Episódio Indígenas da Três Quadros filmes
Criaram um mascote para o movimento separatista do sul e a internet está adorando
Correio do Povo 1989 
Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil de Eduardo Navarro
Dicionário Guarani-Português de Luiz Caldas Tibirica
Dia do índio
Documentário Itapiranga

Eu sou do sul
Kaingang - Português Português - Kaingang 
Lei 12473 
Lei 11920

Lei 11954 
Lei 12596 
Lei 5451 
Lei 1775 
Lei 13166 
Lei 11599 
Lei 13790
Lei 11919 
Lei 11858
Lei 17262 
Lei 12398 
Lei 11836 

Lei 12253 

Mekrudrajá 
Memórias de Santa Catarina
Melancia Quadrada
Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos de Eduardo Navarro
Cenas de sexo são transmitidas pelas redes sociais em monumento tradicional de Xanxerê
Neve não volta a cair no sul do Brasil, mas geada mantém paisagem congelada
O pior IDH
O tupi na geografia nacional

Os Kaingang no Oeste Catarinense: tradição e atualidade de Anelise Nacke, Arlene Renke Leonel Piovezana e Neusa Bloemer

Por que há tantos grupos neonazistas em Santa Catarina?

Polícia Civil de Santa Catarina flagra suástica em piscina de residência​
Parque temático de Katielly Lanzini

Suicídios aumentam e casos no Sul podem estar ligados a agrotóxicos

Trabalho escravo dispara em Santa Catarina

Tradição

Toponímia Indígena na Região Oeste de Santa Catarina

Vamos proteger os tesouros catarinenses

Vozes pela terra

 

Fonte usada no trabalho Vindas: Alegreya, do coletivo Huerta tipográfica.
Frase no texto de abertura "arma apontada que não quer atirar" de Fernando Almeida Filho.

Imagens apropriadas do Google maps, site das prefeituras municipais de Santa Catarina e foto divulgação de jornais.

:

 

4$

1. ponto inicial de uma ação ou coisa que tem continuidade no tempo e/ou no espaço; ponto de partida; procedência. 2. local de nascimento; naturalidade; nacionalidade. 

 

A exposição “Diretamente oposto ao norte” apresenta um fragmento da produção da artista visual catarinense Gabi Bresola. São obras em desenho, pintura, fotografia, áudio, colagem, texto e vídeo produzidos nos últimos cinco anos, que mostram não só a pesquisa matérica da artista, mas a relação da sua produção com questões geográficas, culturais, políticas e regionalistas. 
 

Em diversas linguagens e materiais, Bresola trabalha o lugar de onde vem sempre de forma bastante crítica. Na seleção de obras aqui apresentada, a artista olha não só para a história do sul brasileiro, mas para sua própria história. Sua pele, seu sotaque, sua vivência e ascendência.
 

Mapa de Santa Catarina é um trabalho que revela a origem indígena dos nomes de cidades catarinenses. Happy topographies [lugares terrivelmente felizes] reúne cidades do sul brasileiro batizadas com adjetivos alegres, bons e felizes por colonizadores europeus. Em Questionário, ouvem-se duas perguntas comumente feitas por catarinenses imigrantes, quando conversam com uma pessoa desconhecida. Cartão postal coloca lado a lado cidades europeias e suas novas versões sul brasileiras. O trabalho Vindas é a fotografia de um dos portais instalados em regiões catarinenses e um texto com nomes de cidades, de origem indígena, e seus significados. Já Capitais, reúne cidades que se autodenominam (por lei) capitais de algo e monumentos que as representam. Em Superficialidade da cartografia, um mapa político é rasgado revelando uma cartografia anterior. Infraleves da Linha Pacífico é um texto sobre as sutilezas cotidianas do oeste catarinense, que está disposto-disperso neste espaço.
 

“Diretamente oposto ao norte” é uma exposição que tem como gestos principais reunir ou revelar situações que, por muitas vezes, são muito bem mascaradas na história. Desculpa, mas não tem Agamben que dê conta. 

 

O Curador

DIRE

TA

ENTE 

OPO

STO

A

O

NO

M

R

GABI BRESOLA

TE.

curadoria: Marcos Walickosky
site: Gabi  Bresola com seu amigo Pedro Franz
geógrafa: Amanda Elias
edição de som: Gustavo Caram
agradecimentos/participações: Antônia Vaccari, Ana Paula Bourcheid e família, Adriane Canan, Alzira Canan, Amanda Canan Campos, Biu, Daniel Kuaray, Daniela Farina, Eduardo de Borba, Fabio Brüggemann, Fabiana Bresola, Felipe Martins, Genor Canan, Ilka Goldsmith, Karine Possan, Kim Coimbra, Liége Santin e família, Lívia Aguiar, Nanci Carolina Bresola, Neide Zanella, Névio Bresola, Matheus Francez, Sarah Uriarte, Sabrina Zimmermann e família, Setorial de Artes Visuais de Itajaí e Renan Bernardi.

Esta exposição faz parte do Edital de Ocupação das Galerias de Itajaí, Fundação Cultural de Itajaí / Setorial de Artes visuais de Itajaí.

 

Veiculação e ações viabilizadas através do edital #sculturaemsuacasa
 

PRmPMNbw.png
ombuu.gif